gestação (8).jpg

         

         A gravidez é um momento único para a mulher, mas nove meses com um barrigão podem trazer algumas consequências não tão agradáveis no pós-parto: Quilos extras que não vão embora, gordurinhas localizadas, celulite, estrias e a famosa DIÁSTASE.

 

         A diástase abdominal é uma separação que ocorre no músculo reto abdominal, um dos músculos abdominais principais do core; aqueles que se localizam no centro do corpo e que controlam a postura e força do tronco.

     
     Gestações múltiplas, bebê grande, excesso de líquido amniótico, obesidade, desnutrição, sedentarismo, exercício abdominal intenso, rápido ganho de peso, levantamento excessivo de peso, má postura são alguns dos fatores que podem predispor a diástase pós-parto.


          O método abdominal hipopressivo será um importante aliado durante o tratamento da diástase abdominal. As posturas realizadas no método englobam posturas e movimentos que visam a diminuição da pressão nas cavidades torácica, abdominal e pélvica. 

         Como tratamento, precisamos reabilitar essa musculatura e é preciso dedicação e paciência, com foco na ativação de todo grupo muscular.

        Existem diversos estudos sobre múltiplas técnicas e tratamentos usados, sem uma definição de qual é melhor que outro. Cada corpo vai reagir de uma forma. 

       Ao se tratar as diástases deve-se levar em consideração que o abdomen é a musculatura envolvida em nossa postura, respiração e estabilização e por isso os exercícios propostos devem respeitar essas características.

       Eletroterapia, Kinesio Tapping, Exercicios hipopressivos e exercicios de estabilizaçao e equilíbrio são algumas das alternativas. Procure sempre um profissional para te avaliar, definir a melhor tecnica para o seu caso e acompanhar o seu tratamento. Exercícios mal orientados podem aumentar a diástase.




Ficou com alguma dúvida? Entre em contato!